Notícias Fique por dentro das novidades e eventos

Estimativa prevê alta incidência de câncer de estômago, cólon e reto — Hospital Português da Bahia

25 de abril de 2006

Estimativa prevê alta incidência de câncer de estômago, cólon e reto

25 April 2006

Segundo a Estimativa de Incidência de Câncer no Brasil, estudo publicado este ano pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA), cerca de 23.200 pessoas terão câncer de estômago em 2006. A doença é o terceiro tipo de câncer mais freqüente no mundo e o segundo mais freqüente entre os homens da região Nordeste. Já quando o assunto é câncer de cólon e reto, estima-se que 11.390 homens e 13.970 mulheres apresentarão a doença. No mundo, os tumores malignos que acometem o cólon e o reto somam, a cada ano, cerca de 945 mil casos, sendo a quarta causa mais comum de câncer no mundo.

Para abordar as novidades em diagnóstico e tratamento dos vários tipos de câncer gastrointestinais, o Núcleo de Oncologia da Bahia, serviço presente no Centro Médico Hospital Português, promoveu o 2º Simpósio Internacional em Câncer Gastrointestinal, realizado entre os dias 23 e 25 de março, em Costa do Sauípe. O evento contou com a presença de profissionais renomados como Paulo Hoff e Marcel Machado, de São Paulo, e o norte-americano Bruce Minsky.

Câncer no estômago

Os tumores do câncer de estômago se apresentam sob três diferentes formas, sendo a mais comum o adenocarcinoma, responsável por 95% dos tumores gástricos. Não há sintomas específicos da doença mas algumas características como perda de peso, anorexia, fadiga, sensação de plenitude gástrica, vômitos, náuseas e desconforto abdominal persistente podem indicar uma doença benigna ou mesmo o câncer. Em homens, a incidência da doença é duas vezes maior do que em mulheres e cerca de 65% dos pacientes diagnosticados têm mais de 50 anos.

A medida mais eficaz para prevenir o câncer no estômago é manter uma dieta balanceada. Uma alimentação pobre em vitamina A e C, carnes e peixes, ou ainda com alto consumo de nitrato, alimentos defumados, enlatados e com corantes são fatores de risco para o aparecimento da doença. Além disso, pessoas que fumam, ingerem bebidas alcoólicas ou que já tenham sido submetidas a operações no estômago também têm maior probabilidade de desenvolver o problema.
Câncer colo-retal

O câncer colo-retal abrange tumores que atingem o intestino grosso e o reto. Tanto homens como mulheres são igualmente afetados, sendo uma doença tratável e freqüentemente curável quando localizada no intestino, sem extensão para outros órgãos. A maior incidência de casos ocorre na faixa etária entre 50 e 70 anos, mas as possibilidades de desenvolvimento já aumentam a partir dos 40 anos.

Entre os principais fatores de risco da doença estão o histórico familiar, dieta com alto conteúdo de gordura e baixo teor de cálcio, obesidade e sedentarismo. Portanto, a prevenção da doença inclui uma dieta rica em frutas, vegetais, fibras e cálcio, além da prática de exercícios físicos e a moderação na ingestão de bebidas alcóolicas.

Quando detectado em seu estágio inicial, o câncer colo-retal possui grandes chances de cura, diminuindo a taxa de mortalidade associada ao tumor. Por isso, pessoas com mais de 50 anos devem se submeter periodicamente a rastreamento de cancer colorretal por pesquisa de sangue oculto nas fezes e/ou retossigmodoscopia ou colonoscopia. Consulte seu médico sobre a melhor estratégia de rastreamento.

Fonte: www.inca.gov.br