Notícias Fique por dentro das novidades e eventos

Iodoterapia: Resultados animam médicos e pacientes — Hospital Português da Bahia

16 de julho de 2006

Iodoterapia: Resultados animam médicos e pacientes

16 July 2006

Iodoterapia: Resultados animam médicos e pacientes“O lado humano e o carinho do corpo médico, do grupo de enfermagem, aliado a competência e tecnologia são os diferenciais do tratamento do Hospital Português”, afirma o administrador de empresas, Hugo Oliveira Bélens,  primeiro paciente a ser tratado no Serviço de Iodoterapia, inaugurado em maio deste ano.

Exemplo de força de vontade, Hugo, 72 anos, descobriu um câncer na tireóide em 2002, fez duas cirurgias para retirada de tumores malignos e benignos e  está sendo acompanhado por Dra. Adelina Sanches, médica especialista em medicina nuclear do Hospital Português, há um ano.

“Em comparação há anos atrás, o tratamento evoluiu e as instalações são as melhores que eu vi até hoje”, avalia ele que já fez tratamento em outros hospitais de Salvador, e na cidade de Recife. “A alta demanda pelo tratamento aqui em Salvador, me fez viajar para outra capital para fazer a iodoterapia” .

A unidade possui leitos individuais com blindagens especiais e estrutura diferenciada, seguindo critérios da CNEN – Comissão Nacional de Energia Nuclear.

Segundo Dra. Adelina, médica que acompanha Hugo, a equipe está preparada não  apenas para prestar um atendimento médico de excelência, mas também um serviço humanizado. “O paciente candidato à iodoterapia é um paciente fragilizado emocionalmente porque, além do diagnóstico do câncer, precisa ficar um tempo sem reposição dos hormônios da tireóide e em isolamento completo dos familiares no período em que fica internado. É importante que ele sinta que nós estamos aqui também para suprir essa ausência.”

Parodiando o nome de um livro “Você é do tamanho dos seus sonhos” de César Souza, percebe-se que o título se encaixa com a história de vida de Hugo. Aos 72 anos, ele faz mestrado em finanças, trabalha na TV UCSal, faz parte do conselho do canal universitário, e está escrevendo um romance. Quando o assunto é câncer ele diz: “Agora é observar, sei que estou sendo bem acompanhado. Se a pessoa se entregar fica difícil porque câncer gosta de um corpo debilitado”.

Incidência é maior nas mulheres:

A incidência de nódulos da tireóide na população adulta é significativa, sendo mais freqüentes entre as mulheres. De todos os nódulos da glândula, o tipo mais comum é o carcinoma papilífero ou papilar. O prognóstico desse tipo de câncer é muito bom: em torno de 90% dos pacientes podem ser curados com o tratamento que inclui a realização de um procedimento cirúrgico (retirada completa da glândula tireóide) e, se for o caso, o tratamento com o iodo radioativo, a iodoterapia.

Além do Serviço de Iodoterapia, o Hospital inaugura em breve o Centro de Oncologia, serviço multidisplinar que oferecerá uma assistência integrada ao pacientes com câncer.