Notícias Fique por dentro das novidades

Menos peso, mais saúde — Hospital Português da Bahia

1 de outubro de 2006

Menos peso, mais saúde

01 October 2006

Menos peso, mais saúdeDifícil ser gordo em um mundo onde as pessoas cultuam a magreza e ser belo é ser magro. Certamente um obeso(a) já ouviu que tem um rosto bonito, já gostou muito de uma roupa, mas não pôde comprar ou não consegue fazer coisas simples, como caminhar em ritmo moderado, amarrar o cadarço do próprio sapato ou cruzar as pernas.

Constrangimentos e decepções após tentativas fracassadas de dietas, muitos pacientes obesos encontraram no avanço da medicina a solução para a obesidade mórbida. A ciência evoluiu e a obesidade hoje é encarada como uma epidemia mundial e tratada como doença.

Os dados assustam. Segundo o cirurgião e coordenador do Núcleo de Tratamento Clínico e Cirúrgico da Obesidade (NTCO), Erivaldo Alves, a cirurgia é indicada para melhorar a qualidade de vida e sobrevida do obeso. Cerca de 70% morrem precocemente entre 45 e 55 anos em função da doença base, a obesidade. No Brasil, cerca de 80 mil mortes por ano são relacionadas a doença.

Depois da cirurgia, os pacientes revelam que renasceram e passam a ter outro estilo de vida. “Eu pesava 196 quilos e me sentia péssimo quando as pessoas me olhavam como se eu fosse uma aberração. Já perdi 84 quilos e hoje me sinto outra pessoa que pode subir escadas sem dificuldade. Renovei meu guarda roupa sem ter que comprar na loja dos gordinhos como era antes”, desabafa o paciente C. J, funcionário público, operado em novembro de 2004.

Sou obeso?

Primeiro passo é aceitar que está doente e procurar ajuda médica. O peso corpóreo e a distribuição de gordura são regulados por uma série de mecanismos neurológicos, metabólicos e hormonais que mantêm um equilíbrio entre a ingestão de nutrientes e o gasto energético. A obesidade é, portanto, definida como um excesso do acúmulo de gordura no corpo.

Quando há um excesso da ingestão em relação ao gasto energético, ocorre um armazenamento da sobra de energia sob a forma de gordura, traduzindo-se no aumento do peso corpóreo.

Trata-se de uma conseqüência dos atuais hábitos de vida das pessoas: uma vida sedentária e alimentação desequilibrada. Fatores genéticos, hormonais, alimentares, sedentarismo, ações de medicamentos e fatores emocionais influenciam diretamente na balança.

As repercussões da obesidade no organismo variam diretamente com o aumento do Índice de Massa Corpórea (IMC), ou seja, quanto maior for o seu IMC, maiores serão as chances de desenvolver uma ou mais co-morbidades.

  • Hipertensão artéria
  • Doenças do coração
  • Diabetes
  • Apnéia do sono (parada respiratória durante o sono)
  • Aumento do colesterol e triglicerídeos
  • Depósito de gordura no fígado
  • Cálculos de vesícula
  • Doenças articulares especialmente em joelhos e tornozelos
  • Doenças vasculares como varizes e má circulação nas pernas
  • Câncer no intestino, próstata, mama, endométrio e ovários
  • Alterações na menstruação
  • Incontinência urinária (perda de urina)
  • Infertilidade
  • Impotência
  • Depressão

A avaliação do grau de obesidade é feita através do cálculo do índice de massa corpórea (IMC): peso (kg) dividido pela altura da pessoa (m) ao quadrado, ou seja, IMC = peso/altura2
    
IMC Classificação:
Abaixo de 20 – Abaixo do peso
Entre 20 e 25 – Saudável
Entre 25 e 30 – Sobrepeso
Entre 30 e 40 – Obesidade
Acima de 40 – Obesidade mórbida
Acima de 60 – Superobesidade mórbida

Procedimento Cirúrgico

A cirurgia tem sido uma das formas de tratamento. Ela é indicada em determinados casos, a exemplo de pacientes com índice de massa corpórea de 35 a 40, quando o tratamento clínico não obteve resposta e tenha patologias associadas.

Um dos procedimentos cirúrgicos realizados no Hospital Português é a Cirurgia de Banda Gástrica Ajustável, em que se coloca um anel na parte superior do estômago, permitindo uma capacidade de armazenamento de alimentos de 50 ml.

O aspecto positivo desta técnica é que, além de ser realizada através da vídeolaparoscopia, reduzindo sensivelmente os traumas cirúrgicos, o anel pode ser ajustado em caso de emagrecimento acelerado ou quando não houve uma resposta imediata. O cirurgião alerta para a preocupação de que cada caso tem uma indicação cirúrgica específica. Nem todos os pacientes podem ou devem se submeter à Banda Gástrica Ajustável.

Outra técnica é Fobi-Capella, que consiste em tomar a parte superior do estômago (com um corte) como um reservatório de menor capacidade de armazenamento de alimentos, ligado diretamente ao intestino. Esta técnica é invasiva, envolvendo a abertura do abdômen, no entanto, os recursos da videolaparoscopia já vem sendo utilizados em centros médicos pioneiros.

Existe ainda a técnica Scopinaro, indicado para os pacientes superobesos. Consiste em seccionar parte do estômago, que fica com capacidade de 500 ml e desvia o intestino, causando a redução na absorção dos alimentos. Entre as reações, está a má absorção de vitaminas e ferro.

Outra técnica, que não é cirúrgica, mas endoscópica, é a colocação do Balão Intragástrico. Colocado dentro do estômago por seis meses, dá a sensação de saciedade com a redução da fome. A técnica é indicada para dois casos extremos.

O primeiro é o do paciente com superobesidade que precisa perder peso para minimizar os riscos de um procedimento cirúrgico. O outro caso é do paciente com obesidade moderada (IMC de 35) e a cirurgia não é indicada. A pessoa perde peso e vai se reeducando na alimentação e no estilo de vida.

Núcleo de Tratamento Clínico e Cirúrgico da Obesidade

A cirurgia da obesidade causa grande expectativa e ansiedade nos pacientes. Esta é considerada por muitos como o último recurso após um longo período de sacrifícios, decorrentes das dietas, exercícios e medicamentos, todos sem resultados.

As causas e as conseqüências da obesidade, tratamentos, avaliações constantes e mudanças de hábito, são trabalhados no NTCO, implantado em 2002, com o apoio do Hospital Português, constituído por uma equipe multidisciplinar que trata de todos os aspectos da obesidade. Em quatro anos, foram realizadas mais de 1170 cirurgias.

A responsabilidade do Núcleo não se encerra com a realização da cirurgia ou com a conclusão do tratamento clínico. Em seguida, são realizadas reuniões quinzenais às quintas-feiras, onde são discutidas as indicações, vantagens e desvantagens de cada técnica cirúrgica e existe uma importante troca de informações e discussões entre os pacientes operados e os candidatos à cirurgia.

“O sucesso do tratamento está condicionado ao acompanhamento do paciente pelos diversos profissionais. O psicólogo por exemplo preocupa-se com as questões afetivas, sociais, familiares envolvidas na gênese da obesidade mórbida bem como todo processo de reformulação de hábitos e as conseqüências do pós-operatório”, avalia Sheyna, psicóloga.

Calendário de reuniões:

Novembro- dia 22
Dezembro – dia 13

Equipe:

Drs. Erivaldo Alves, Jorge Farias, Leonardo Vinhas e Adriano Rios – cirurgiões ; Dra. Sheyna Vasconcellos, Ana Paula Kalil e Karine Sepulveda – são as psicólogas; Dra. Ana Lúcia Leiro, nutricionista; Dra. Mônica Medrado, médica clínica; Dra. Maria Soledad, cirurgiã plástica. Além disso, o Núcleo está associado ao Departamento de Pneumologia, o Laboratório do Sono, três anestesistas e um endocrinologista.

Palestra e Caminhada

O Hospital Português e o NTCO promovem no dia Internacional de Combate a Obesidade, 11 de outubro, um evento aberto à comunidade com palestras que abordarão a obesidade, questões sociais, psicológicas e culturais da doença, tratamentos e alimentação.

E para incentivar uma vida saudável, também será realizada, no dia 21 de outubro, sábado, uma caminhada pelo parque da Cidade e serão prestadas orientações e atendimentos através das Unidades Móveis de Saúde. Se programe!

Palestra Obesidade
Dia:11 de outubro, das 08 às 11h
Local: auditório do Centro Médico Hospital Português

Caminhada no Parque da Cidade
Dia: 21 de outubro, sábado, a partir de 8h
Local: Parque da Cidade

Informações sobre o evento: 3203-5797