Notícias Fique por dentro das novidades e eventos

Paróquia de Sant’Ana homenageia o Hospital — Hospital Português da Bahia

3 de agosto de 2007

Paróquia de Sant’Ana homenageia o Hospital

03 August 2007

Paróquia de Sant’Ana homenageia o HospitalUma homenagem especial à Real Sociedade Portuguesa de Beneficência Dezesseis de Setembro – mantenedora do Hospital Português – marcou o encerramento do tríduo preparatório para a festa da Paróquia do Santíssimo Sacramento e Sant’Ana, no dia 25 de julho, em Nazaré.

 “Rezemos a Jesus pelas tantas maravilhas que o Hospital Português tem operado nestes 150 anos de serviço para nossa cidade, para as pessoas que lá são atendidas”, abençoou padre José Abel Carvalho, celebrante da missa festiva e pároco da Igreja de Sant’Ana. Segundo ele, a homenagem é fruto da longa amizade entre a Igreja e o Hospital Português, motivada pela sintonia de ideais e valores.

O pregador da celebração, monsenhor Ademar Dantas, destacou a importância do amor entre as relações humanas e da solidariedade como “ato supremo da oferta de si mesmo”. Durante a missa, os devotos de Sant’Ana ofertaram rosas em gratidão à padroeira e a banda da Marinha executou o hino nacional.

Após a comunhão, o Hospital Português, representado pelo presidente Armindo Carvalho e sua esposa, Dona Adélia Carvalho, recebeu uma réplica da imagem da padroeira Senhora Sant’Ana. Ao final da noite, fogos de artifício chamavam para a extensa programação do dia seguinte, que incluiu missa em memória de Mons. José Gilberto de Luna e recitação solene do terço, pelos 50 anos de sacerdócio de Dom Geraldo Majella Agnelo.

História – Por mais de um ano e meio, o templo ficou interditado. Em outubro de 2005, durante a celebração de uma missa, parte do forro do coro desabou e a Defesa Civil de Salvador proibiu as atividades no local, deslocadas para o Convento do Desterro e a Igreja da Palma. Agora, com 80% do telhado restaurado, a comunidade reúne esforços para dar continuidade às atividades e
missas. “A paróquia completará, em breve, 250 anos de existência e não pode continuar magoada pelas investidas do tempo”, afirmou  Pe. José Abel.

Fundada no século XVIII, e tombada em 1941, a Igreja de Sant’Ana é referência no conjunto arquitetônico barroco da Bahia e tem sua história entrelaçada com as lutas pela Independência: além de terapoiado os revoltosos, abriga o corpo da heroína Maria Quitéria.