Notícias Fique por dentro das novidades

Câncer de Próstata — Hospital Português da Bahia

5 de abril de 2013

Câncer de Próstata

05 April 2013

A ausência de sintomas pode levar anos para o portador de câncer de próstata. Em muitos casos, as primeiras reações são percebidas após décadas do aparecimento da patologia, dada a lentidão do seu desenvolvimento. A melhor maneira de prevenir a doença e de ampliar as possibilidades de cura é adotando hábitos saudáveis e consultando um urologista ou oncologista anualmente, sobretudo a população idosa. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA) cerca de três quartos dos casos de câncer de próstata no mundo ocorrem a partir dos 65 anos.  Este também é o tipo de tumor que mais afeta os homens. Somente em 2013, o INCA estima 60.180 novos casos entre os brasileiros. O oncologista clínico do Centro de Oncologia HP, Dr. André Bacellar traz mais informações sobre este assunto. Confira!

1. Qual a função da próstata?

A próstata é uma glândula que faz parte do sistema reprodutor masculino. Ela se localiza anteriormente ao reto e envolve a uretra logo abaixo da bexiga (o que justifica a utilização do toque retal). Sua principal função é a produção de parte do fluido que constitui o sémen, líquido espesso que contém os espermatozoides.

2. Como o homem pode perceber alguma alteração na próstata?

Em geral, observando sintomas no trato urinário: dificuldade ou hesitação para urinar, jato fraco, sensação de esvaziamento incompleto da bexiga e gotejamento terminal. A inflamação dessa glândula também pode causar irritações urinárias, como dor e aumento da frequência de urinar. No caso do câncer de próstata, a grande maioria dos pacientes é assintomática na fase inicial da doença.

3. Quais as principais causas do câncer de próstata?

Ainda não sabemos as causas com exatidão, mas existem fatores que aumentam a probabilidade de que um homem o desenvolva. O envelhecimento é o principal deles, a prevalência da doença aumenta significativamente a partir dos 50 anos. Histórico familiar de câncer de próstata, principalmente abaixo dos 60 anos, também é um fator de risco importante. 

4. Há como se prevenir dessa patologia?

Hábitos saudáveis como dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais e com menos gordura, principalmente de origem animal, ajudam a prevenir o câncer, como também outras doenças crônicas. Nesse sentido, recomenda-se também o controle do peso, evitar o sedentarismo, o consumo de álcool e não fumar.

O rastreamento do câncer de próstata com o exame do PSA e o toque retal anuais tem motivado intenso debate na nossa área, principalmente no que tange ao seu uso indiscriminado em toda população. Particularmente, recomendo que todo homem a partir dos 40-50 anos consulte um urologista ou oncologista para informar-se melhor a respeito, para uma conduta individualizada e consensual em relação ao seu rastreamento. 

5. A medicina já aponta algum novo procedimento que diminua o pavor dos homens pelo exame de toque retal?

Esta é uma questão cultural que deve ser trabalhada entre alguns homens. O toque retal ainda é imprescindível para os urologistas, apesar dos avanços nas técnicas de ressonância magnética prostática que muitas vezes ajudam no planejamento do tratamento.

6. Uma vez diagnosticado e devidamente tratado, é possível curar o câncer de próstata completamente?

Sim! Quando a doença é descoberta numa fase precoce as taxas de cura com cirurgia e radioterapia podem chegar a 90% dos casos. Há a possibilidade de cura mesmo no tumor que saiu um pouco da próstata, mas não se espalhou para o organismo. Nesses casos a atuação conjunta do urologista, radioterapêuta e oncologista é sempre essencial.

7. A cirurgia de câncer de próstata pode trazer danos ao desempenho sexual do homem?

A prostatectomia radical, cirurgia para o câncer de próstata, pode causar disfunção erétil, assim como os outros tratamentos disponíveis. O avanço da técnica, o melhor conhecimento da anatomia masculina e outras tecnologias disponíveis, vêm reduzindo as taxas deste problema, que hoje varia entre 10% e 50% dos casos. O tratamento num centro de referência ajuda a diminuir esta complicação. Com orientação adequada, muitos pacientes recuperam a potência entre seis meses e um ano após a cirurgia. 

8. O que o HP oferece no tratamento do câncer de próstata?

Todas as etapas terapêuticas, desde a detecção, diagnóstico, tratamento e seguimento do câncer de próstata. Contamos com urologistas de referência; serviços de radioterapia e imagem modernos com profissionais altamente qualificados; além de um Centro de Oncologia, onde o oncologista geralmente acompanha o paciente durante todo o período de tratamento. Equipes oncológicas especializadas de enfermagem, psicologia e nutrição, também desempenham papel essencial na ajuda do paciente, muitas vezes fragilizado ao lidar com este diagnóstico.