Notícias Fique por dentro das novidades e eventos

Homenagem — Hospital Português da Bahia

8 de agosto de 2014

Homenagem

08 August 2014

Uma pessoa boa, que respeitava o próximo e, embora discreta, inevitavelmente se destacava entre os colegas de trabalho; fosse pela postura generosa e simples, ou pela dedicação incansável e brilhantismo profissional. Entre os muitos adjetivos e substantivos atribuídos a Dr. Marcos Silva Araújo, a saudade predomina. O jovem cardiologista, que coordenava a Unidade Coronariana do Hospital Português e partiu precocemente, deixou no coração daqueles que o conheceram não apenas boas lembranças do convívio, mas, sobretudo, o exemplo de um ser humano diferenciado. Para a diretoria do Hospital Português permanece a perda irreparável e o sentimento de solidariedade à família.

“Sua ausência deixa-nos consternados. Dr. Marcos não era apenas um cardiologista brilhante, era também uma pessoa singular entre nós. Trabalhador incansável, discreto e generoso, sabia se doar como ninguém. Que seu exemplo inspire os mais jovens e todos que desejam uma jornada direcionada para o bem comum”.

Dr. Mário Rocha – Gerente Técnico

“Nesse momento, somos invadidos por uma confusão de sentimentos. Temos uma gratidão enorme por ter convivido com alguém tão especial, mas um vazio enorme pela falta de alguém tão especial”.

Renata Correia – Psicóloga da UCO

“Ele era mais que um colega de trabalho. Era um amigo, companheiro, parceiro. Cada detalhe da Unidade Coronariana traz a sua lembrança”.

Cláudia Moreira – Enfermeira Chefe da UCO

“Nesses seis anos em que trabalho na UCO, nunca o vi irritado. Mesmo em plantões agitados, ele sabia sempre contornar a situação com bom humor. Seu sorriso fará muita falta em minhas manhãs”.

Denise Muniz – Auxiliar de Unidade

“Perdemos Marquinhos. Desta forma carinhosa, diariamente o chamávamos ao Serviço de Hemodinâmica, após a realização das coronariografias, para definir condutas dos pacientes internados na Unidade Coronariana, coordenada por ele ao lado do amigo Mário. Sempre com opiniões muito sensatas e seguras, contribuiu em diversas decisões difíceis nas definições de condutas do “heart team”, ajudando assim, a salvar diversas vidas em nossa instituição. Peço a Deus que esteja sempre ao seu lado e de sua grande família”.

Dr. Antônio Azevedo Júnior – Médico Cardiologista da Hemodinâmica

“Para mim fica a lembrança de uma pessoa que buscava sempre ser justa e fazer o bem; que não tinha vaidade e se colocava com modéstia, fazendo com que todos ao seu lado se sentissem grandes. O tipo de pessoa que se torna uma referência na vida de outras”.

Gerson da Costa Leite Júnior – Farmacêutico

“Como pessoa e médico, era um exemplo. Um colega de trabalho excelente, dedicado e comprometido com o paciente e disponível para atender qualquer solicitação que surgisse. Espero que todos que tiveram a oportunidade de trabalhar com ele levem um pouco do seu exemplo”.

Ronaldo de Castro Scavelo – Técnico de Enfermagem da UCO

“Mais que um bom médico, mais que um bom companheiro de trabalho, Marcos era um bom homem. Em tão pouco tempo, ele cumpriu brilhantemente a sua missão aqui na Terra e deixa uma bela história para seus familiares e amigos. Para nós que tivemos a honra de conviver com ele fica o exemplo de dedicação, competência, respeito e amor ao próximo, que são características fundamentais para quem cuida do bem maior: a vida.

Camila Santana – Enfermeira Auditora Clínica

Quero registrar o meu apreço e a minha admiração pela pessoa e ao trabalho do colega e amigo Marcos Araújo. Tive o privilegio de conviver com ele desde os seus primeiros plantões na Unidade Coronária do HP. Foi um período de rápido reconhecimento por todos os colegas, da sua qualidade profissional e integridade moral poucas vezes vistas em um jovem. Isto se refletiu no seu crescimento dentro do HP e possibilitou frutos muito marcantes que colhemos e não esqueceremos jamais. Fique em paz, meu amigo!

Dr. Alexsandro Fagundes – Médico Cardiologista

 

Minha primeira lembrança de Marcos é no Hospital das Clínicas. Lembro do residente de cardiologia brilhante que respondia as interconsultas na enfermaria de clínica médica em que eu fazia internato. Naquela época já tinha percebido que se tratava de uma pessoa diferenciada. Anos depois, em 2009, tive a grata surpresa de encontrá-lo como colega plantonista da unidade coronariana. Desde então, pude conviver mais de perto com um ser humano de incrível capacidade de trabalho, incansável, brilhante em cada atividade que desempenhava. Além disso, ele era extremamente simples, humilde, justo, terno, companheiro, disposto a ajudar cada amigo e colega no que fosse possível. Quando passou a coordenar a unidade coronariana conhecemos um gestor como poucos, que além de incrível capacidade técnica sabia valorizar seus coordenados. No âmbito familiar, percebia-se que era excelente esposo, excelente pai, excelente filho e irmão. Por isso o tamanho da sua perda não pode ser medido. Fica para nós a saudade, a lembrança dos bons momentos e o exemplo a ser seguido. Que Deus esteja com ele e conforte a sua família.

Rogério Ferreira – Plantonista da UCO