Notícias Fique por dentro das novidades e eventos

Otimismo protege a saúde — Hospital Português da Bahia

9 de setembro de 2014

Otimismo protege a saúde

09 September 2014

Diante dos desafios cotidianos nem sempre é fácil manter o otimismo. O simples fato de assistir aos noticiários da TV já pode ser razão para sentir desânimo. Isso é natural, porque o cérebro está em contato permanente com o mundo que o cerca. Mas quando consideramos os benefícios que uma atitude positiva pode gerar para todo o organismo, a busca pelo otimismo pode se tornar uma meta estimulante – muitas vezes simples de alcançar. Dr. Ailton Melo, neurologista do Hospital Português explica que conviver com amigos, praticar exercícios regulares, manter uma alimentação saudável e o controle do peso são fatores que atuam positivamente para a melhora do sistema imunológico e proteção de doenças.

“O otimismo não exagerado pode promover a tranquilidade necessária para lidar com situações adversas. A pessoa vê a vida por um ângulo melhor, dorme melhor, faz mais amigos e tem maior relacionamento social – um dos fatores que evita depressão e doenças degenerativas do sistema nervoso”. O pensamento positivo também reduz o estresse, a angustia, situações como vertigem, dores no corpo e úlceras gástricas; e no caso de pacientes, facilita a adesão ao tratamento, diz o médico. Por tudo isso, o otimismo é um aliado da saúde.

Quando sob estresse, seja por estímulos externos ou associados à recordação de um fato desagradável, o corpo sofre uma série de reações desconfortáveis: aumento das frequências cardíaca e respiratória, secura da boca, diminuição da função intestinal, suor excessivo das mãos e pés. Essas manifestações são desencadeadas pelo sistema nervoso e atuam como agressores do organismo. “Sabe-se que o estresse aumenta a possibilidade de doenças imunológicas como esclerose múltipla, doença de Chron e asma”, informa o neurologista.

Para evidenciar o que acontece no corpo e como ele reage ao estímulo positivo da mente, gerando benefícios para o combate de doenças, Dr. Alessandro Farias, infectologista do HP, recorre a dois teóricos clássicos da Física. De um lado a terceira lei de (Isaac) Newton mostra que toda ação corresponde a uma reação proporcional, ou seja, para um estimulo positivo, o beneficio é atingido, seja no corpo, na mente, e também no espirito. De outro, Albert Einstein relaciona matéria e energia, ajudando a compreender como o pensamento interfere no corpo físico, isto é, como o pensamento correto de fato fortalece o ser, pois é energia que se materializa no corpo. “Seguindo essas lógicas, um corpo saudável ou doente resulta dessa inter-relação dinâmica entre forças mentais e o corpo”.

Conforme o nosso ânimo, diferentes substâncias químicas produzidas pelos neurônios são liberadas no organismo. Quando estamos felizes quem surge são os neurotransmissores cerebrais que trazem sensações de satisfação e bem-estar – serotonina, dopamina e encefalinas. Nessas horas sorrimos mais, as rugas diminuem, os músculos da face fazem mais exercícios e aumentamos nossa autoestima. “Como os circuitos cerebrais relacionados à recompensa e ao prazer ficam mais ativados no otimista, sua postura é mais atraente e favorável à aproximação”, informa Dr. Ailton Melo. Já Dr. Alessandro Farias lembra que podemos mudar o nosso corpo sempre, pelos nossos pensamentos que determinam nossas atitudes no dia a dia, construindo a saúde física e mental adequada para viver bem e com harmonia com os outros e consigo. “Os pensamentos são ferramentas maravilhosas à disposição de todos. Prestar atenção neles é um gesto sábio e de grande responsabilidade”, conclui.