Notícias Fique por dentro das novidades e eventos

Alimentação saudável — Hospital Português da Bahia

12 de março de 2015

Alimentação saudável

12 March 2015

Os benefícios de uma rotina alimentar saudável para o organismo e, consequentemente, favorável à boa forma têm despertado a atenção de um número cada vez maior de pessoas, na atualidade. Para atender aos anseios desse novo público emergente, cresce a oferta de espaços especializados em produtos naturais, diets, lights, livres de lactose e glúten, entre outros. Em meio a essa diversidade de opções e aos apelos comerciais da indústria alimentícia, é natural surgirem dúvidas na hora de escolher o que consumir nas refeições ou no lanche, preservando o direito de desfrutar do sabor, da capacidade nutritiva e de saciedade dos alimentos. Diante da passagem do Dia da Saúde e da Nutrição (31), a chefe de Nutrição do Hospital Português, Gildete Fernandes, orienta como ser assertivo na escolha do cardápio diário. Confira!

1. Hoje, parece que a alimentação também virou modismo. A cada estação surge uma nova dieta, muitas vezes com exclusão radical de algumas substâncias importantes para o bom funcionamento do organismo. Qual o risco de seguir esse tipo de padrão alimentar?

Toda restrição, substituição ou suplementação de alimentos deve ser feita com acompanhamento de um nutricionista para avaliar os riscos e benefícios da indicação. O glúten, por exemplo, há séculos é a base de nossa dieta alimentar diária. Retirá-lo da alimentação gera deficiência brusca na oferta de energia, proteína, gorduras, vitaminas e minerais, originando desnutrição e carências importantes quando a supressão é prolongada (maior que 60 dias). A rápida perda de peso é consequência da exclusão do cardápio dos alimentos que são fontes de carboidratos (e de energia para o gasto físico e intelectual) e proteínas (formadora dos tecidos musculares e sistema imunológico). Assim, há comprometimento da saúde, do humor, da concentração, da disposição para tarefas diárias e aumento da susceptibilidade para as doenças. No caso da carne vermelha, sua exclusão total da dieta provoca anemia ferropriva, com repercussões sobre a imunidade. Já a eliminação dos lacticínios causa uma carência de cálcio que compromete a qualidade dos ossos.

2. Diante da atual avalanche de receitas supostamente milagrosas para emagrecimento e conquista rápida da boa forma, qual a sua orientação?

Um plano alimentar precisa ser individualizado, calculado a partir das necessidades de energia de cada pessoa, conforme o seu metabolismo basal, faixa etária, sexo, altura, tipo de atividade física, alergias e intolerâncias alimentares, hábito alimentar individual e familiar, capacidade de aquisição e preparação dos alimentos. Além disso, uma alimentação que promove a saúde, deve conter alimentos de todos os grupos: carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas, sais minerais, fibras e líquidos. Dietas muito restritivas em calorias produzem rápida perda de peso, entretanto, a recuperação do peso acontece com maior rapidez em relação às dietas que incluem reeducação alimentar. Também esse tipo de dieta tem pouca adesão pela falta do prazer produzido pelo paladar, olfato, textura e apresentação visual do alimento

3. Então, qual o segredo para aliar sabor, nutrição e saciedade aos alimentos saudáveis?

Uma dieta colorida tem mais chances de ser equilibrada e saudável. Isto, porque as cores dos alimentos são determinadas por substâncias que desempenham papel importante na proteção do organismo contra doenças infecciosas. O segredo é promover uma reeducação alimentar para seguir uma dieta o mais natural e integral possível. Isto significa consumir alimentos ricos em nutriente e minimamente processados, o mais próximo de sua composição original, sem aditivos químicos – corantes artificiais, conservantes, aromatizantes, entre outros produtos comumente encontrados nos alimentos industrializados (como os refrigerantes). Além de descobrir esses novos sabores (in natura) e reeducar o paladar, com a continuidade é possível desfrutar de uma série de efeitos benéficos para a saúde, comprovados cientificamente. O consumo de alimentos integrais, por exemplo, promove perda de peso, especialmente na região abdominal (associada a ao risco de diabetes do tipo 2 e problemas cardiovasculares). Alimentos naturais integrais como frutas, legumes, verduras, cereais, oleaginosas, ainda tratam e previnem problema de saúde como hipertensão, obesidade, osteoporose, doenças respiratórias e alguns tipos de câncer.