Notícias Fique por dentro das novidades e eventos

Segurança do paciente — Hospital Português da Bahia

2 de junho de 2015

Segurança do paciente

02 June 2015

Em hospitais, serviços de saúde, instituições de ensino e na comunidade em geral, a higienização das mãos é considerada a principal forma de prevenir infecções virais e bacterianas, tendo eficácia comprovada no impedimento da disseminação de micro-organismos multirresistentes em situações comuns do dia a dia, como um aperto de mão. Apesar disso, tornar essa prática um hábito representa um dos maiores desafios para organizações de todo o mundo. Na avaliação do médico líder da Infectologia do Hospital Português e membro do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar da Instituição, Dr. Alessandro Farias, atitudes que ajudem a prevenir e controlar as doenças infecciosas precisam ser praticadas diariamente por toda a população e, especialmente, pelos profissionais da saúde. “As mãos têm contribuição significativa em numerosos surtos de doenças por serem um veículo transmissor de vírus e bactérias. Por outro lado, estudos diversos têm mostrado grandes resultados na prevenção e controle da transmissão de patologias microbianas através da limpeza adequada das mãos”, observa.

O infectologista explica que a higienização adequada pode ser feita por meio de lavagem com sabão, antissepsia (lavagem com um antisséptico) ou aplicação de álcool gel. Três medidas simples e eficazes na eliminação dos microrganismos que colonizam as camadas superficiais da pele. No caso das infecções associadas aos cuidados em saúde, a Organização Mundial de Saúde recomenda cinco momentos para higienizar as mãos: 1) Antes de tocar no paciente. 2) Antes de executar procedimentos com o paciente. 3) Antes de risco de exposição a fluidos corpóreos. 4) Depois de tocar no paciente. 5) Depois de tocar em superfícies. “A lavagem com água e sabão é claramente indicada quando houver sujidade visível nas mãos. Em situações específicas da rotina de cuidados do paciente, o uso de álcool gel é mais apropriado”.

HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS COMO ROTINA

Em processo de implantação de padrões internacionais de qualidade e segurança do paciente para a conquista do selo de Acreditação Internacional Qmentum, o Hospital Português adota a higienização das mãos como uma Rotina Operacional Padrão – ROP. Isto significa que a lavagem das mãos constitui uma meta assistencial estabelecida pela Instituição, sendo monitorada por testes de conformidade que avaliam os resultados. Dr. Alessandro Farias ressalta que esta ROP reforça os procedimentos internos de cuidado do paciente e que compõe treinamentos de reciclagem das equipes assistenciais, como a Blitz de Higienização das Mãos, realizada em maio pela equipe da Comissão de Controle de Infecções Hospitalares – CCIH. Tendo uma abordagem lúdica, esta ação percorreu as diferentes áreas do HP, mobilizando profissionais de unidades de internação e visitantes sobre a importância de higienizar as mãos sempre que necessário.

Com este mesmo objetivo, nos meses de março e abril, mais de 700 colaboradores do HP, entre enfermeiros e técnicos de unidades de internação e de medicina crítica, participaram de reciclagem focada na importância da higiene das mãos para o controle e prevenção de infecções associadas aos cuidados em saúde, através do projeto Assistir RH. “Higienizar as mãos melhora o atendimento em saúde, dá qualidade diferenciada à assistência médica hospitalar e salva vidas. Profissionais da saúde, acompanhantes e pacientes, acreditem nessa rotina operacional e cobrem sua execução!”, pede o médico.