Notícias Fique por dentro das novidades e eventos

Atuação ética e gestão em saúde — Hospital Português da Bahia

6 de maio de 2016

Atuação ética e gestão em saúde

06 May 2016

Atuação ética e gestão em saúdeReferência em atendimentos de alta complexidade e acolhimento humanizado no Norte e Nordeste do país, o Hospital Português – HP é um dos hospitais envolvidos na formação acadêmica dos jovens profissionais de medicina na Bahia, por meio das especializações oferecidas em seu Programa de Residência Médica. Para fomentar nos médicos residentes uma atuação qualificada e, sobretudo, alinhada aos princípios éticos da profissão, a Instituição investe ainda em Sessões Científicas sobre Gestão e Ética. “Nesses encontros de caráter educativo, o Hospital busca orientar a tomada de decisão do jovem médico nas diferentes situações que ocorrem no ambiente hospitalar e muitas vezes afetam o paciente e a sua família, quer sejam dilemas técnicos ou aspectos éticos da profissão”, informa o Coordenador da Comissão de Residência Médica (COREME) no HP, Dr. Aquiles Camelier.

Visando construir um modelo de discussão participativo e transdisciplinar, as Sessões Científicas reúnem todos os profissionais envolvidos na condução de casos clínicos considerados excepcionais ou difíceis, devido suas características. “Nos encontros, os jovens residentes expõem e justificam as suas possíveis decisões gerenciais diante de cada situação clínica apresentada pelas equipes da assistência”, observa o vice-coordenador da Unidade Coronariana (UCO), Dr. Marcos Barojas.

Para a médica assistente da Gerência Técnica, Dra. Maíra Dantas, esse laboratório contribui para integrar os novos médicos às diferentes equipes, além de estimular o desenvolvimento da liderança compartilhada, mostrando que as escolhas devem considerar o plano terapêutico adequado ao paciente e o acolhimento das famílias. “Queremos proporcionar ao residente o exercício da tomada de decisão a partir do compartilhamento de informações com os membros da equipe assistencial. É o momento de esclarecer dúvidas e experimentar críticas e questionamentos comuns às situações difíceis da prática médica”.

Um exemplo abordado na primeira Sessão Científica sobre Gestão e Ética foi o caso de uma paciente puérpera. No 12º dia de internação na UCO, sem perspectiva de alta médica, ela solicitou a presença do seu bebê recém-nascido, mesmo sabendo tratar-se de um hospital geral de alta complexidade. A situação foi analisada de forma particular tendo foco no acolhimento humanizado, bem como, nos valores éticos e regimentos de saúde. “A avaliação dos aspectos emocionais da paciente visou prevenir riscos psíquicos inerentes ao pós-parto e favorecer a vinculação mãe-bebê”, informa a psicóloga Renata Correia.

Para a enfermeira chefe da UCO, Cláudia Moreira, levar essa situação ao encontro permitiu que os envolvidos no cuidado soubessem da tranquilidade da paciente após receber a visita do seu bebê recém-nascido. “O acolhimento humanizado foi um diferencial que contribuiu para a recuperação da paciente, sendo proporcionado pela atenção de profissionais da assistência, como a técnica de enfermagem Creusa Freire, a enfermeira Silmara Silva, a auxiliar de unidade Denise Muniz e a farmacêutica Natália Moreira”.

A assistente social Clara Novais destaca que a humanização do acolhimento surge da avaliação personalizada de cada paciente. “Nem sempre podemos atender o que nos é solicitado. E nem sempre o que o paciente pede trará um benefício real. O que percebemos é o seu desejo de ter alguém que possa ouvi-lo atentamente. Por isso, buscamos desenvolver essa capacidade de escuta ativa e coletiva para propor as melhores soluções”.

Revista Imagem Real Maio – 2016

http://www.hportugues.com.br/imprensa/revista-imagem-real