Notícias Fique por dentro das novidades e eventos

Oxigenação por membrana extracorpórea — Hospital Português da Bahia

6 de maio de 2016

Oxigenação por membrana extracorpórea

06 May 2016

Oxigenação por membrana extracorpóreaEm situações de falência dos pulmões, há uma impossibilidade de transporte de oxigênio desses órgãos para o sangue, em quantidades suficientes que permitam o bom funcionamento do organismo como um todo. Esse quadro grave é chamado de Insuficiência Respiratória e pode ocorrer devido a muitas causas. No que chamamos de Insuficiência Respiratória Aguda, faz-se urgente garantir ao paciente o oxigênio necessário para a manutenção da vida. Isto é feito rotineiramente com o uso de aparelhos de ventilação mecânica. Esta situação pode ser facilmente constatada em Unidades de Terapia Intensiva (UTI), onde boa parte dos pacientes está sobre tratamento com este recurso.

Mais raramente, os aparelhos de ventilação mecânica – os respiradores – não são suficientes para garantir a oxigenação do paciente, apesar de oferecer as mais altas concentrações de oxigênio. Nestes casos, a medida extrema para salvar a vida do paciente será oxigenar o seu sangue de forma extracorpórea. Este método, chamado simplesmente de ECMO, da tradução em inglês, Membrana de Oxigenação Extracorpórea, implica em fazer circular o sangue do paciente através de tubos para fora do corpo, por uma membrana que expõe o sangue ao oxigênio e o retorna ao paciente. Trata-se de um sistema complexo e dispendioso, que deve ser aplicado em situações extremas, onde todas as opções disponíveis foram insuficientes.

O tempo de recuperação do paciente submetido ao tratamento por ECMO é variável e imprevisível, podendo durar semanas. Assim, ele deve ser mantido neste sistema, até que seu pulmão se recupere e possa voltar a ser responsável pela oxigenação do sangue.

Recentemente, essa tecnologia precisou ser empregada na UTI do Hospital Português, em um paciente com o vírus Influenza do tipo H1N1, para tratar sua situação de falência respiratória grave e refratária a tratamentos convencionais. É sabido que a gripe Influenza, em uma minoria de casos, pode levar a Insuficiência Respiratória de tamanha gravidade. Por isso, a necessidade de adoção de medidas preventivas eficazes pela comunidade em geral para evitar o contágio do vírus Influenza, como acontece na imunização através de vacinas.

Revista Imagem Real Maio – 2016

http://www.hportugues.com.br/imprensa/revista-imagem-real