Notícias Fique por dentro das novidades e eventos

Sal X Saúde — Hospital Português da Bahia

7 de junho de 2016

Sal X Saúde

07 June 2016

Queridinho dos temperos, o sal é utilizado nos mais diversos preparos culinários e até mesmo em receitas adocicadas ele garante presença. Na indústria alimentícia é também bastante requisitado, seja para promover sabor ou a conservação prolongada de produtos; prática, aliás, herdada da antiguidade. Tanto apreço pelo condimento faz do brasileiro um dos maiores consumidores de sal do mundo, ingerindo em média 12 gramas diárias, contra os 5 gramas  (uma colher de chá rasa) recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), fato que levou o Ministério da Saúde a determinar a redução do teor de sal nos produtos comercializados no país. Ainda assim, 70% do sódio (mineral presente no sal) consumido pelo brasileiro vêm de refeições caseiras.

A chefe de Nutrição do Hospital Português, Gildete Fernandes, explica que para quem não possui restrição ao sal, sua ingestão dentro ou fora de casa deve respeitar a quantidade diária recomendada pelo Ministério da Saúde, buscando prevenir doenças como hipertensão, insuficiência renal e problemas cardiovasculares, bem como, beneficiar as funções orgânicas. “Apenas 4 gramas de sódio por dia são suficientes. Logo, moderar o consumo e respeitar as condições individuais é essencial para um padrão de vida saudável”. Entre os mais de 300 tipos de sal disponíveis no mercado, a nutricionista selecionou os mais populares no Brasil para comentar suas características e benefícios para a saúde. Confira!

Sal de cozinha – Comercializado na forma refinada, o cloreto de sódio é a versão do sal mais usada na culinária. Sua composição inclui cloro (40%), sódio (60%) sódio e adição de iodo, que ajuda a prevenir o hipotireoidismo e o bócio endêmico e também favorecem o bom funcionamento das células do corpo, dos músculos (incluindo o ritmo cardíaco) e do sistema nervoso. Contudo, esse tipo de sal possui menor teor de minerais devido ao seu processamento para remoção de impurezas. O ideal é mesclar o consumo de sal com o de alimentos naturais como frutas e verduras, para obter os valores recomendados de sódio.

 

Sal light – Possui menor teor de sódio, sendo composto por cloreto de sódio (50%) e cloreto de potássio (50%). É indicado para quem tem restrição para consumo de sódio, mas deve ser evitado por pessoas com problemas renais já que o potássio pode ficar retido no organismo, gerando risco para problemas cardiovasculares. Também possui sabor suave e cada grama de sal light possui 197mg de sódio.

Sal marinho – Fruto da evaporação da água do mar nas salinas ou lagos de evaporação, o sal marinho é extraído da natureza pela raspagem manual, o que torna sua comercialização mais cara que a do sal de cozinha. Sua textura (em flocos, grosso ou fino), cor (branco, rosa, preto, cinza, cores variadas) e a quantidade de sais minerais variam de acordo com a região da sua extração. Cada grama de sal marinho possui 420mg de sódio.

Sal líquido – É a versão integral do sal de cozinha, pois é diluído em água mineral apenas com adição de iodo. Possui sabor suave, sendo encontrado em forma de spray em embalagens de 250 ml. Cada ml de sal líquido possui 110mg de sódio.

Sal do Himalaia – Trazido do oriente, da região do Himalaia, esse tipo de sal é rico em mais de 80 minerais, entre os quais cálcio, magnésio, potássio, cobre e ferro. Essa característica resulta num tom rosado e sabor suave, sendo tido como uma das variações mais saudáveis de sal. Cada grama de sal do Himalaia possui 230mg de sódio.

Revista Imagem Real – Junho 2016

http://www.hportugues.com.br/imprensa/revista-imagem-real