Notícias Fique por dentro das novidades e eventos

Esporão calcâneo e fascite plantar — Hospital Português da Bahia

11 de julho de 2016

Esporão calcâneo e fascite plantar

11 July 2016

A dor no calcanhar é uma condição comum na população e um dos principais motivos de atendimento ortopédico. Embora tenha causas diversas, as mais frequentes são a fascite plantar e o esporão de calcâneo. Esses dois problemas ainda são bastante confundidos pelas pessoas devido a algumas características comuns – mesmo agente causador e dor localizada em áreas coincidentes. Na fascite plantar há uma alteração degenerativa no músculo que se estende do osso calcâneo aos dedos (fascia plantar), gerando processo inflamatório doloroso. No esporão de calcâneo há um crescimento ósseo (osteofito) próximo da fáscia plantar, motivado pela tração dos músculos flexores do pé.

Quem possui fascite plantar também pode apresentar esporão de calcâneo e costuma sentir dor na parte posterior do pé (calcanhar), com irradiação para toda planta do pé (região que toca o solo). Já no esporão, é somente o calcanhar que dói. A dor surge logo nos primeiros passos do dia, ao levantar-se da cama, devido ao longo período em que os pés permaneceram em flexão plantar e relaxados, durante o sono. Há relatos de dor também durante a prática esportiva ou a permanência em pé por longos períodos.

Entre os fatores de risco para tais problemas estão: exercícios físicos que geram impactos e estresse excessivo sobre o calcanhar e a fáscia plantar (corrida, ballet, etc.), pés com anormalidades (como pé chato ou cavo), sobrepeso (sobrecarregando músculos e ossos das pernas e pés), encurtamento do tendão de Aquiles e da musculatura da cadeia posterior da perna e coxa, calçados inadequados (com solas flexíveis demais ou que não oferecem apoio suficiente à curvatura do pé e amortecimento adequado).

O diagnóstico é essencialmente clínico a partir da avaliação física dos pés, investigação detalhada da história do paciente e das características da dor. Exames de imagem (radiografia, ultrassonografia e ressonância nuclear magnética) ajudam a excluir outras causas de dor para confirmação dos diagnósticos de fascite plantar e esporão calcâneo. Em ambos os casos, o tratamento é essencialmente conservador e individualizado, podendo incluir fisioterapia, órteses noturnas, palmilhas moldadas (para sustentação do arco do pé, melhor distribuição da carga e diminuição do impacto da pisada), controle de peso corporal, medicações anti-inflamatórias e analgésicas, buscando evitar procedimentos cirúrgicos ou métodos invasivos.

Ignorar a fascite plantar ou o esporão de calcâneo pode resultar em dor crônica nos pés e dificuldades para realizar atividades no dia a dia. Além disso, a dor pode alterar a maneira de caminhar, gerando problemas não só para os pés, mas também para os joelhos, quadril e até mesmo para a coluna. Procure um especialista se você sentir dor intensa ou contínua na região da planta dos pés. Para não se esquecer de descrever os seus sintomas, faça uma lista detalhada e apresente-a ao seu médico ortopedista.

Revista Imagem Real – Julho 2016

http://www.hportugues.com.br/imprensa/revista-imagem-real