Notícias Fique por dentro das novidades e eventos

Treinamento Intervalado de Alta Intensidade — Hospital Português da Bahia

6 de setembro de 2016

Treinamento Intervalado de Alta Intensidade

06 September 2016

fisioterapeutaEliminar o excesso de gordura corporal realizando esforço físico vigoroso por períodos curtos é a proposta do Treinamento Intervalado de Alta Intensidade, o chamado HIIT (do inglês Hight Intensity Interval Trainning). A prática desenvolvida no século passado vem se popularizando no Brasil, conquistando adeptos de diferentes faixas etárias; em geral, pessoas que buscam reduzir medidas através da atividade física de alta intensidade. Apesar do modismo criado em torno do HIIT, resultados satisfatórios dependem da adaptação do treino às necessidades pessoais e condicionamento físico do praticante. Isto, porque toda prática de exercício deve ser regrada, monitorizada e adaptada para cada indivíduo. Assim, é essencial ter a orientação de profissionais especializados e seguir um programa personalizado, alinhado com protocolos de prevenção, diagnóstico e terapêutica.

O diferencial do HIIT em relação a outras modalidades de treino é o emprego de esforço físico de alta intensidade e curta duração, intercalado com períodos de recuperação – obtida com o descanso completo ou ativo, como numa caminhada em ritmo lento. O resultado é a produção de mudanças metabólicas no organismo, com queima de gordura por tempo prolongado em relação aos exercícios aeróbicos tradicionais. Isso se deve ao aumento no consumo de oxigênio após a atividade, o chamado EPOC (Excess Post Exercise Oxygen Comsumption). Fisiologicamente, na prática do HIIT o corpo sofre desgastes que necessitam ser reparados no pós-treino. Durante o repouso o metabolismo é basicamente aeróbico, então o organismo acelera o processo metabólico para otimizar sua regeneração, aumentando o consumo de oxigênio para suprir essa demanda energética.

Diversos estudos descrevem os mecanismos orgânicos desencadeados no HIIT e os benefícios à saúde associados a esta prática, tais como a propagada eficácia na aceleração metabólica e no gasto calórico; fatores que têm colocado a modalidade de treino entre as preferidas por quem tem a redução de peso como meta. Vale lembrar que o HIIT não é uma modalidade esportiva, mas sim uma proposta de treinamento que necessita de alto empenho do praticante para alcançar os resultados almejados. Uma das vantagens desse tipo de treinamento é a possibilidade de adaptar a intensidade, o grau de complexidade e o tipo de exercício às necessidades pessoais, podendo ser realizado na piscina, em cicloergômetros ou utilizando somente o próprio corpo.

Também não podemos esquecer que exercícios físicos extenuantes podem prejudicar o organismo se não houver respeito aos limites pessoais e condicionamento físico. Assim, podem ocorrer lesões ortopédicas, problemas cardiovasculares (devido a manutenção do batimento cardíaco acelerado), além da rabdomiólise, doença que danifica o tecido muscular esquelético, liberando substâncias na corrente sanguínea que geram efeitos sistêmicos e podem levar ao quadro de insuficiência renal aguda. Nesse caso, é preciso uma intervenção médica rápida diante da tríade clínica clássica: dor, fraqueza muscular e excreção de urina de cor escura. A mesma atenção deve ser dada para níveis plasmáticos e urinários da enzima creatina quinase (CK) com elevação de mioglobina. Para evitar problemas de saúde e potencializar os benefícios do HIIT, faça uma avaliação médica prévia, seja com um ortopedista ou cardiologista.

Revista Imagem Real – Setembro 2016

http://www.hportugues.com.br/imprensa/revista-imagem-real