Notícias Fique por dentro das novidades e eventos

Tontura: entenda as causas, sintomas e tratamentos — Hospital Português da Bahia

11 de outubro de 2016

Tontura: entenda as causas, sintomas e tratamentos

11 October 2016

A tontura representa a terceira queixa mais comum no consultório médico, perdendo apenas para dor e fadiga. É um sintoma com certa prevalência no sexo feminino e incidência maior com o avançar da idade. A pessoa com tontura pode apresentar reações diversas como instabilidade, flutuação, náuseas, vômitos e zumbido nos ouvidos. Esse conjunto de sintomas é conhecido popularmente como “labirintite”. Quase sempre, este termo é associado a um clássico questionamento ao médico: “a labirintite tem cura doutor?”. Felizmente, a resposta é: “SIM!”.

Para identificar a causa da labirintite, é necessária uma investigação ampla do portador do problema, de acordo com a sintomatologia específica de cada paciente. O exame clinico, com manobras específicas realizadas pelo médico Otorrinolaringologista, é essencial na identificação e caracterização inicial do quadro de tontura. Além disso, diversos exames complementares são necessários para o diagnóstico, como exames laboratoriais (de sangue), exames de audição e testes do equilíbrio. Em alguns casos, é necessária também a investigação de patologias na coluna cervical e doenças vasculares.

Diversos fatores estão associados a sua gênese, dentre eles: doenças no sangue (como a anemia), alterações metabólicas ou hormonais, além de tumores, ingestão de drogas ou medicamentos, erros alimentares (como abuso de cafeína), alterações vasculares (hipertensão arterial ou hipotensão), infecções, alterações no pescoço e, muito comumente, problemas relacionados primariamente com o próprio labirinto. Devido às diversas causas observadas, o tratamento é sempre individualizado. Um tratamento eficaz depende da correta compreensão da doença e dos diversos mecanismos envolvidos em cada paciente.

O tratamento abrange desde medicações para o controle do equilíbrio na fase aguda e crônica, como mudanças na alimentação e hábitos de vida, como adotar a prática de atividade física. Associada a isso, a reabilitação labiríntica (através de exercícios e manobras específicas para a recuperação do labirinto, realizadas por fonoaudiólogo ou fisioterapeuta) é de extrema importância no tratamento de diversos tipos de tontura. É fundamental o acompanhamento com o otorrinolaringologista, em um ambiente multidisciplinar, para a condução adequada e resolução efetiva de cada caso.

Revista Imagem Real – Outubro 2016
http://www.hportugues.com.br/imprensa/revista-imagem-real