Notícias Fique por dentro das novidades

Bons hábitos alimentares favorecem o desempenho do sistema imunológico

12 de junho de 2020

Uma rotina nutricional saudável e equilibrada contribui para o bom funcionamento do organismo como um todo e gera benefícios diretos ao sistema imunológico. Na mesma medida, o consumo regular de alimentos pobres em nutrientes está intimamente ligado ao surgimento de enfermidades. Esse contraste na forma como o corpo reage à alimentação reflete as escolhas de cada dia e deve ser considerado na hora de decidir sobre o que comer e o que não comer, na avaliação da chefe de Nutrição do Hospital Português (HP), Gildete Fernandes. “A relação com os alimentos diz muito sobre a saúde. Doenças frequentes na população, como obesidade e diabetes, muitas vezes, surgem ou se agravam em razão do estilo de vida. Por outro lado, diversos estudos apontam os inúmeros benefícios de uma dieta saudável”, observa a nutricionista.

Análises embasadas em evidências científicas demonstram que refeições nutritivas são aliadas do organismo nas tarefas de prevenir e combater doenças. Esse potencial papel protetor se deve a propriedades funcionais, anti-inflamatórias e antioxidantes, encontradas em frutas, legumes, verduras, sementes oleaginosas e frutos secos. Assim, além de fornecer energia, a rotina de lanches e refeições precisa ser completa do ponto de vista nutricional, ou seja, contemplar diferentes componentes essenciais para suprir as necessidades orgânicas: vitaminas, sais minerais, proteínas e gorduras saudáveis. “Uma alimentação saudável, equilibrada e sem exageros, contribui de modo importante com as defesas naturais do organismo, além de gerar maior disposição física e mental, especialmente, quando associada a bons hábitos de sono, atividade física, controle do estresse e cuidados com a saúde mental”, ressalta a nutricionista.

Sobre o que comer para atingir esses ganhos essenciais ao bem-estar, a dica é: desembrulhar menos e descascar mais! Substituir o consumo de produtos industrializados (com valor nutricional baixo e ricos em sódio, açucares e gorduras trans) por alimentos naturais, principalmente os da época, que são mais fáceis de achar. Vale lembrar que a Organização Mundial da Saúde – OMS recomenda consumir porções de (no mínimo) 400 gramas desses alimentos, diariamente. “Temos uma diversidade de frutos típicos para experimentar, em nossa região. Desenvolver melhores hábitos alimentares tem muito a ver com essa abertura para provar novos sabores e texturas nas refeições. É uma questão de prática e de refletir sobre os muitos benefícios conquistados, em longo prazo”, destaca a nutricionista.

Em razão da pandemia, Gildete alerta sobre a importância de redobrar a atenção com a higiene dos alimentos, para evitar os riscos de contaminação. A nutricionista indica também a leitura do “Guia para uma alimentação saudável em tempos Covid-19”, da Associação Brasileira de Nutrição – Asbran, que traz orientações para compras, higienização, congelamento e armazenamento de alimentos, entre outras informações, a exemplo de como ter uma alimentação saudável para manter o bem-estar e o sistema imunológico em boas condições. O material está disponível para download na página da Asbran na internet, https://www.asbran.org.br/.