Notícias Fique por dentro das novidades e eventos

Insuficiência venosa dos membros inferiores — Hospital Português da Bahia

10 de setembro de 2014

Insuficiência venosa dos membros inferiores

10 September 2014

A cirurgia de varizes é uma das mais realizadas no Brasil devido à alta incidência da Insuficiência Venosa dos Membros Inferiores – IVC na população nacional. Devido a fatores hormonais, as mulheres são 5 vezes mais acometidas pela patologia do que os homens. Além do desconforto gerado pela aparência das veias dilatadas nos pés, pernas e coxas, o problema causa dor, inchaço, peso, cansaço e, em quadros mais graves, alterações da pele e úlceras. Dr. Marcio Zildo Carvalho, médico angiologista, cirurgião vascular e endovascular do Serviço de Cirurgia Vascular do HP, explica que não existe uma fórmula mágica para evitar as varizes, mas que comportamentos preventivos como atividade física regular, manutenção do peso e não fumar, ajudam a evitar o surgimento do problema. “Quando as varizes se instalam, a terapêutica que proporciona resultados mais eficientes é a retirada dos vasos e o acompanhamento clínico”, diz o especialista, que também informa como deve ser feito o diagnóstico precoce e os tratamentos disponíveis na atualidade. Confira!

 

1.   O que caracteriza a Insuficiência Venosa de Membros Inferiores (IVC)?

A IVC possui diferentes níveis de intensidade. Os micro vasos podem causar dor e desconforto, merecendo atenção especializada para a definição do tratamento mais adequado. Em graus mais leves, as varizes geram cansaço, peso e edema. À medida que avançam, os sintomas vão se tornando mais intensos e são comuns queixas de dor mais intensa e edema vespertino (com aumento no decorrer do dia). Nos quadros mais graves, ocorrem alterações de cor da pele, que fica mais endurecida e áspera. Já no estágio final da patologia costumam ocorrer inflamação da pele (eczema), inflamação das varizes (varicoflebite) e úlceras venosas – condição mais grave e de difícil controle, porque demoram em cicatrizar e requerem tratamento cuidadoso.

 

2.   Quais os fatores de risco das varizes?

O mais importante é o fator hereditário. Outros fatores desencadeadores são as alterações de peso, múltiplas gestações, tipo de atividade profissional e uso contínuo de anticoncepcionais. Toda mulher em idade fértil deve fazer uma avaliação vascular com um especialista, de preferência antes de iniciar o uso de anticoncepcionais – já que na fase fértil há uma maior concentração de hormônios femininos. A avaliação inicial visa prevenir ou tratar precocemente as varizes. A partir deste exame o especialista pode avaliar a condição da paciente e estabelecer o período ideal para o acompanhamento de rotina. Embora a idade não seja o principal fator de risco, os idosos devem ser acompanhados rotineiramente já que as varizes tendem a aumentar com a idade. Com o envelhecimento a tendência de desenvolver varizes é maior. Aproximadamente 25% das mulheres e 15% dos homens em todo o mundo, apresentam varizes dos membros inferiores, segundo o Ministério da Saúde (MS).

3.   Quais exames devem ser feitos para diagnosticar o problema?

O principal deles é a consulta médica, porque no exame físico do paciente o médico já pode identificar se ele possui algum grau de insuficiência venosa periférica. Como complementação, o especialista pode requerer o Duplex Scan Venoso dos membros inferiores  que proporciona o mapeamento mais detalhado da localização da insuficiência, a condição da área afetada e se a patologia é passível de tratamento. Assim, o diagnóstico é dado após o exame físico e o exame de imagem.

 

4.   Como é realizado o tratamento?

O tratamento para a retirada dos vasos doentes pode ser cirúrgico, como também pode ser clínico, com uso de meia elástica e medicações, ou ainda realizado em consultório médico por meio de Escleroterapia Convencional (para vasos menores) ou Escleroterapia com Espuma Densa (para vasos de maior calibre). O Laser e a Radiofrequência Transdérmica também são alternativas indicadas para o tratamento das microvarizes. Todos esses procedimentos são realizados pelo Serviço de Cirurgia Vascular do Hospital Português com profissionais altamente qualificados.

 

5.   É possível curar as varizes?    

Nos casos mais avançados, em que o paciente já apresenta o problema e sintomas há muito tempo, pode não existir a cura total, mas um controle clínico com melhora importante para o bem-estar e a qualidade de vida – desde que sejam seguidas as orientações médicas. Nas demais situações, a cura é perfeitamente possível através da remoção cirúrgica dos vasos danificados.