Notícias Fique por dentro das novidades e eventos

Mudança de peso – Bons hábitos podem prevenir e combater a obesidade — Hospital Português da Bahia

3 de outubro de 2014

Mudança de peso – Bons hábitos podem prevenir e combater a obesidade

03 October 2014

A reducação alimentar, uma dieta balanceada e a prática regular de atividade física são as recomendações principais para prevenir o sobrepeso e a obesidade. A prática da atividade física é um dos pilares para uma vida saudável e um dos principais fatores no combate à obesidade, problema que atinge mais da metade da população brasileira. De acordo com o Ministério da Saúde, 51% da população acima de 18 anos está acima do peso ideal.

O que muitos não sabem é que o hábito de se exercitar regularmente também é um dos fatores responsáveis por manter esses resultados e diminuir a desistência do tratamento após a cirurgia bariátrica, quando o paciente precisa incorporar uma série de medidas em sua rotina. Alguns trabalhos mostram que as taxas de desistência do tratamento caem quando os pacientes passam a praticar atividade física no seu dia a dia.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), em média, 50% dos pacientes que passam pela cirurgia voltam a engordar parcialmente e cerca de 5% dos operados volta ao patamar inicial, que tinha antes de fazer a cirurgia, principalmente pela falta de reeducação alimentar e sedentarismo. A dieta e a atividade física são indispensáveis não apenas na manutenção do peso, mas na prevenção de diversas doenças. A população em geral precisa conhecer os riscos da obesidade e adotar hábitos saudáveis. A falta de atividade física é considerada uma pandemia mundial. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o sedentarismo é o quarto maior fator de risco para doenças crônicas, ficando atrás somente da hipertensão, do tabagismo e do colesterol alto.

Entre as complicações associadas à obesidade estão hipertensão, diabetes, problemas de circulação, doenças no fígado, câncer, disfunções respiratórias como apneia do sono, doenças sociais e psicológicas. Quando a obesidade chega a um nível crítico e a dieta associada à atividade física não causa efeito, é necessária a intervenção médica. O tratamento cirúrgico é recomendado em casos específicos, quando o grau de obesidade ou de doenças associadas com risco de morbidade torna a cirurgia uma alternativa eficaz.  A cirurgia não tem fins estéticos, porém, altera hábitos e a qualidade de vida do paciente com o objetivo de fazê-lo ter uma vida mais saudável e longa.