Notícias Fique por dentro das novidades e eventos

Doação de sangue — Hospital Português da Bahia

7 de novembro de 2014

Doação de sangue

07 November 2014

Os principais beneficiados com o sangue coletado pelos hemocentros brasileiros são os pacientes que passaram por procedimentos como transplantes de órgãos, cirurgias e atendimentos de urgências, de acordo com o Ministério da Saúde. De 2003 a 2013, essas áreas da saúde pública tiveram um crescimento significativo, de 84% no número de transplantes, 619% no de cirurgias, e 627% no de atendimentos de urgência, reforçando a importância da doação de sangue.  Muito embora tenha havido um incremento de quase 9 milhões de novos voluntários – com a redução da idade mínima para ser doador para 16 anos – apenas 1,8% da população nacional doa sangue anualmente. Isso resulta em 3,6 milhões de bolsas de sangue coletadas por ano no país. Para manter os estoques regulares, a Organização Mundial de Saúde recomenda a coleta de 5,7 milhões de bolsas por ano. “O ideal é que cada pessoa doe sangue duas vezes ao ano. Em cada doação são retirados cerca de 450 mililitros de sangue que podem salvar até 4 vidas”, observa Dr. Fernando Araújo, hematologista do Banco de Sangue do Hospital Português. Nesta entrevista, o médico informa como o processo é simples e esclarece cada etapa da doação. Confira!

1.    A doação de sangue pode prejudicar a saúde do doador?

Não. Antes de doar sangue, o voluntário passa por uma triagem clínica na qual é submetido a uma série de exames que identificam se está apto à doação, sem que o gesto ofereça risco à sua saúde ou a do receptor. O volume de sangue doado é reposto pelo organismo nas 24 horas seguintes à doação. O gesto não engorda, não emagrece, não engrossa o sangue, nem afina; não vicia, nem está relacionado a qualquer tipo de dependência.

2.    O que é feito com o sangue doado?

Cada bolsa coletada tem os componentes sanguíneos separados (concentrado de hemácias, de plaquetas e plasma) para serem liberados para uso, exclusivamente, após o resultado dos exames. Os casos em que há reatividade sorológica são descartados. Cada bolsa doada pode beneficiar até quatro pacientes.

3.    Quais são as etapas da doação?

Primeiro, o voluntário é cadastrado no sistema como doador de sangue. Em seguida, passa pela triagem, onde são avaliados os sinais vitais, realizado o teste de anemia e aplicado um questionário visando a sua segurança e do receptor. Se tudo ocorrer bem, é autorizada a coleta do sangue em bolsa plástica estéril e descartável. O sangue coletado é enviado para separação dos hemocomponentes em laboratório. Nessa etapa são realizados os testes sorológicos, microbiológicos e de imunidade para checagem das amostras de sangue. Depois disso é feito o armazenamento. Quando solicitada e depois de testada a compatibilidade entre doador e receptor, é feita a transfusão.

4.    Quais os requisitos para ser um doador?

É preciso apresentar documento de identidade com foto, estar em boas condições de saúde, ter 50 Kg ou mais, idade entre 16 anos e 69 anos (sendo que a primeira doação deve ser realizada antes dos 60 anos e, dos 16 aos 17 anos, a doação só poderá ser realizada mediante consentimento formal por escrito dos representantes legais), estar alimentado com refeições leves, não estar gestante, ter realizado a última doação de sangue há 60 dias, no caso de homens, e há 90 dias, no caso de mulheres.

5.   Onde posso doar sangue no Hospital Português?

No Banco de Sangue do HP/Hemocentro São Lucas, que funciona no primeiro andar do Hospital (em frente à Endoscopia), de segunda a sexta-feira das 8h às 16h e aos sábados das 8h às 12h. Mais informações podem ser obtidas no telefone 3245-2891.