Notícias Fique por dentro das novidades

Atividade física em casa

20 de julho de 2020

*Entrevista com Dr. Luis Alfredo Gómez, vice-coordenador do Serviço de Ortopedia do HP

Para driblar o sedentarismo em tempos de isolamento social, muita gente tem optado por adaptar a rotina de exercícios físicos ao espaço doméstico. Além de contribuir para a melhora do bem-estar geral, a iniciativa busca evitar a exposição pública e o consequente risco de contrair a Covid-19, sobretudo no caso de idosos e outros públicos de risco. A comodidade (e segurança) de se exercitar em casa, com o auxílio de vídeoaulas disponíveis na internet ou a orientação remota de um personal trainer, entretanto, exige cuidados a fim de produzir benefícios e prevenir o risco de lesões. Confira nesta entrevista as orientações do vice-coordenador do Serviço de Ortopedia do Hospital Português (HP) e líder da especialidade de Ombro e Cotovelo da Instituição, Dr. Luis Alfredo Gómez!

  1.     Quem pode e quem não deve se exercitar por conta própria, durante o período de isolamento social?

A prática do exercício físico é bem-vinda a todos os indivíduos, independentemente da idade. No entanto, aqueles que padecem de alguma patologia músculo-esquelética e/ou cardiovascular, e que nunca foram avaliados por um especialista para praticarem exercícios físicos, por prudência, deveriam evitar estabelecer uma rotina de treinos sem que haja uma avaliação médica prévia. Esse cuidado é essencial para que a atividade física possa cumprir o seu papel de beneficiar o indivíduo, respeitando as necessidades individuais e a capacidade pessoal de desempenho.

  1.     Os adeptos dos treinos domésticos devem tomar algum cuidado especial, inclusive para evitar lesões?

A primeira coisa é ser honesto consigo mesmo e reconhecer se já tem (ou não) um condicionamento físico adequado para a atividade elegida. No entanto, é sempre importante um pré-aquecimento e alongamento corporal prévio aos treinos.

  1.     No caso de surgirem luxações, entorses ou outros problemas nos músculos e articulações, o que o senhor orienta? 

A luxação (deslocamento da articulação para fora do seu local habitual) é uma lesão que requer tratamento de urgência, assim, o indivíduo deve se dirigir imediatamente à Emergência Ortopédica do HP. Quanto aos outros problemas músculo-esqueléticos, a primeira coisa a fazer é interromper imediatamente a prática da atividade física e colocar gelo no local, três vezes ao dia, protegendo a pele, para evitar queimadura pelo frio. A depender da intensidade da dor, é possível agendar uma consulta eletiva no Consultório de Ortopedia do HP (sala 401 do CMHP) ou se dirigir à nossa Emergência, no caso de dor for intensa.

  1.     As vantagens de se manter ativo fisicamente superam os riscos da prática de exercícios em casa?

Sim. Desde que sejam respeitadas as orientações dadas anteriormente, manter-se fisicamente ativo supera, e muito, os riscos de praticar exercícios em casa, não só do ponto de vista de condicionamento físico mas, também, pelos inúmeros benefícios psicológicos adquiridos com este processo.

  1.      Que recomendações o senhor dá para quem está sedentário devido à pandemia?

Trate de se exercitar! Existe uma série de aplicativos gratuitos (para iniciantes e avançados) que podem ser úteis, por exemplo, propondo exercícios de força, resistência ou mobilidade, separados por partes do corpo. Outros Apps auxiliam na realização de alongamentos, aquecimentos e resfriamento pós-exercício físico.

  1.     E para os idosos e outros públicos de risco, qual a orientação parta evitar a inatividade física?

Idosos e demais pessoas do grupo de risco devem fazer uma avaliação médica prévia com o ortopedista, clínico ou cardiologista. Na realidade pandêmica atual,  isso é possível por Telemedicina ou mesmo presencialmente, no consultório de Ortopedia do HP, que possui acesso independente do Hospital, funcionando no Centro Médico HP. Ter a orientação remota de um personal trainer me parece também fundamental para o desempenho adequado da atividade física e prevenção de possíveis lesões causadas por execução inadequada dos exercícios.